Campo Grande (MS), Quarta-feira, 24 de Abril de 2024

SEBRAE

Micro e Pequenas Empresas sustentam saldo positivo de empregos em Mato Grosso do Sul

Segundo estudo do Sebrae, com base no Caged, pequenos negócios corresponderam a 45,5% dos postos em janeiro de 2024

02/04/2024

17:55

ASSECOM

©DIVULGAÇÃO

Desempenhando um importante papel na economia, as micro e pequenas empresas (MPE) sustentaram o saldo de empregos formais em janeiro de 2024 em Mato Grosso do Sul. Entre demissões e contratações, os pequenos negócios corresponderam a 45,5% das oportunidades no primeiro mês do ano, com 2.269 postos. Ao considerar todos os portes de empreendimentos, foram 4.989 vagas no estado, sendo: 1.901 nas médias e grandes empresas (MGE) e 108 na administração pública. Já o saldo correspondente às contratações por pessoas físicas (CPF), a exemplo de funcionários domésticos, foi de 709 empregos e organizações sem fins lucrativos, 2.

Os dados são do último estudo realizado pelo Sebrae com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Ainda conforme o levantamento, o setor que liderou a categoria das micro e pequenas empresas em Mato Grosso do Sul foi o de Construção, com saldo de 743 postos em janeiro; seguido por Agropecuária (606), Serviços (531) e Indústria Transformação (362). Apenas Comércio terminou o mês com saldo negativo, contabilizando mais demissões do que contratações (-35).

“Os pequenos negócios contribuíram com 45,5% de todo o saldo de emprego no estado. Isso deixa cada vez mais clara a importância deles na dinâmica econômica local. Os setores em que os pequenos negócios mais se destacaram foram a Construção, seguido de Agropecuária e Serviços. Nesse período, tivemos o setor do Comércio apresentando saldo negativo de empregos e alguns aspectos que podem ter influenciado nisso são: o fim das contratações temporárias de final de ano e devido à desaceleração sazonal que ocorre no ‘pós festas’, onde as pessoas normalmente tendem a reduzir seus gastos em virtude das despesas de final de ano. Isso pode levar as empresas do setor a reduzirem temporariamente a sua força de trabalho”, comenta o analista-técnico do Sebrae/MS Paulo Maciel.

Quando se juntam todos os portes de empreendimentos, as atividades econômicas que mais se destacaram no estado, em janeiro, foram: “Atividades de apoio à agricultura”, com saldo de 712 vagas; “Montagem de instalações industriais e de estruturas metálicas”, com 407; “Cultivo de soja”, com 392; “Construção de edifícios”, com 338; e “Cultivo de cereais”, com 237.

O estudo pode ser conferido na íntegra no Data Sebrae. Mais informações por meio da Central de Relacionamento do Sebrae, no número 0800 570 0800.


Os comentários abaixo são opiniões de leitores e não representam a opinião deste veículo.

Últimas Notícias

Veja Mais

Envie Sua Notícia

Envie pelo site

Envie pelo Whatsapp

Jornal do Estado MS © 2021 Todos os direitos reservados.

PROIBIDA A REPRODUÇÃO, transmissão e redistribuição sem autorização expressa.

Site desenvolvido por: